terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Review: Schattensaiten (Carpe Noctem)

Schattensaiten (Carpe Noctem)
(2016, Eigenveröffentlichung/Soulfood)
(5.7/6)

Comecemos pelas apresentações: os Carpe Noctem são um quinteto alemão composto por dois violoncelos e um violino, baixo e bateria. Bom, desde logo isso já nos orienta numa determinada direção. Claro: Apocalyptica! Sim, os Carpe Noctem têm semelhanças com os finlandeses pela utilização do violoncelo, mas conseguem afastar-se deles porque o violino, pelo menos ao nível dos solos, consegue transmitir uma outra coloração. O disco com esse estranho e impronunciável nome de Schattensaiten é o segundo e o primeiro a contar com temas originais – a estreia tinha sido com versões de temas clássicos. São 12 temas que o próprio grupo apelida de string metal, com o peso e a densidade sónica do metal tocada por instrumentos clássicos sendo que a secção rítmica tradicional ajuda a criar uma base bastante sólida. Nesta coleção de 12 temas, apenas dois são cantados e um deles é uma excelente versão de Toxicity dos System Of Dawn. Entre momentos pesados (por exemplo a abertura Conviction tem uma estrutura muito Metallica) e outros de sensibilidade e emotividade (o maior destaque aqui vai para Autumn), Schattensaiten vai evoluindo, criando excelentes jogos de cordas e deixando claro que a banda se sente à vontade a criar temas com estruturas próximas do clássico.

Tracklist:
1.      Conviction
2.      Blick Ueber Die Klippen
3.      Das Gift Der Spinne
4.      Maskerade
5.      Daydream
6.      Fate
7.      Toxicity
8.      Tavernspiel
9.      Requiem
10.  Autumn
11.  Untold Story
12.  Penthesilea

Line-up:
Friedrich Busch - violino
Cornelius Wagner – violoncelo solo
Martin Streicher – violoncelo ritmo
Sascha Dobschal – baixo
Daniel Cebulla – bateria e percussão

Internet:
Website   
Facebook     
Twitter   
Youtube   
Soundcloud   

Edição: Eigenveröffentlichung/Soulfood

Sem comentários: