quinta-feira, 23 de março de 2017

Review: Impact (Ghost Avenue)

Impact (Ghost Avenue)
(2017, Pitch Black Records)
(5.8/6)

Muito daquilo que dizíamos há três anos a respeito dos Ghost Avenue a propósito do seu álbum homónimo mantém-se perfeitamente atualizado. Na altura o coletivo estreava-se numa nova editora e deixava boas indicações. Hoje percebe-se que a manutenção do line up e da editora e toda a estabilidade que isso confere, permitiu aos noruegueses não só manterem a sua linha ideológica e estrutural, como reforçar a sua presença no cenário metálico internacional. Impact é o nome do novo disco, uma natural sequência lógica do que havia sido apresentado em Ghost Avenue, embora mais ousado, mais coeso, mais inteligente, mais trabalhado. Em suma, mais maduro. As referências à NWOBHM continuam presentes embora surgindo mais atualizadas, de modo que a personalidade e individualidade do coletivo tenham maior destaque. E o disco corre e ouve-se como se de uma peça única se tratasse. Seja pelo nivelamento por alto das canções, seja pela continuidade criada pela existência de diferentes sons eletrónicos a unir as músicas – afinal trata-se de um álbum conceptual – o que é verdade é que a sequencialidade é um ponto muito forte em Impact. Um disco que causa impacto, sem dúvida, e que marca um passo em frente em relação ao anterior contendo algumas grandes malhas de metal que são potenciadas por uma produção grandiosa e cristalina.

Tracklist:
01. Impact
02. Escape
03. The Prison
04. Time Traveller
05. Affection
06. Dancing With the Devil
07. Construction
08. The Edge of Darkness
09. Collateral Damage
10. The Ace

Line-up:
Kim Ihsak Sandvik – Vocals
André Berger – Guitar and Backing Vocals
Petter Christopher Lein – Drums
Magnus Liseter – Bass
Øystein Wiik – Guitars

Internet:
Website   
Youtube  
Facebook   
Twitter   
Myspace   

Edição: Pitch Black Records   

Sem comentários: