quarta-feira, 19 de julho de 2017

Review: Longe do Chão (O Gajo)

Longe do Chão (O Gajo)
(2017, Rastilho Records)
(5.5/6)

O trajeto que João Morais vinha trazendo com a sua banda, os Gazua, já fazia prever algo do género ao que assistimos agora com O Gajo. João Morais, apesar de ter começado no punk rock, sempre se mostrou incorformado e sempre se notou, na sua música, o sentido de inovação e evolução. A utilização da guitarra portuguesa nos Gazua acabou por ser o precursor para a descoberta da viola campaniça, instrumento da maior relevância em Longe do Chão. Uma viola tipicamente alentejana, nas mãos de um lisboeta a cantar a sua cidade. Um disco que pega campaniça e com ela junta o melhor das nossas raízes, desde o fado ao folclore. Apenas por uma vez surge uma voz, feminina, e em vocalizo. É em Trânsito de Vénus, um tema de forte teor arábico, ou não fosse o Alentejo uma das zonas onde mais tempo permanecerem os mouros, diz a nossa história. E a história deste Longe do Chão, trabalho de estreia d’O Gajo, é feito destas estórias sacadas das cordas de um guitarra só nossa, pelas mãos de um mestre da execução e da criatividade. Um autêntico Carlos Paredes da campaniça!

Tracklist:
1.      Longe do Chão
2.      Há uma Festa Aqui ao Lado
3.      Uma Ginja Com Elas
4.      A Carteirista
5.      Miradouro da Batucada
6.      O Cego e a Guitarra
7.      Trânsito de Vénus
8.      5300 Noites
9.      Férias no Havai
10.  Navio dos Loucos
11.  A Navalha da Rua Escura

Line-up:
João Morais – viola campaniça
Telma Pereira – voz em Trânsito em Vénus

Internet:

Edição: Rastilho Records   

Sem comentários: