Review: Aamamata (Helevorn)


Aamamata (Helevorn)
(2018, Bad Moon Man Music)

O Mar Mediterrâneo e as suas histórias diárias de terror, medo e abandono, mas também de coragem e esperança, está na base do novo álbum dos Helevorn, Aamamata. Aamamata é a canção que a morte entoa todos os dias nesse mar e que vem demonstrar quanto a humanidade se demitiu das suas funções sociais e humanitárias. Daí que Nostrum Mare Mare (Et Deixo Un Pot de Mar Blava), tenha excertos nas oito línguas banhadas pelo Mediterrâneo. Mas, aquela que é considerada a melhor banda de doom de Espanha, aborda outras temáticas, embora relacionadas com a questão dos direitos humanos, como Aurora, inspirada em Aurora Picornell, uma lutadora pela liberdade morta a 5 de janeiro de 1937. Já o belíssimo encerramento é feito com uma faixa adaptada de uma canção catalã do Séc. X. Aamamata é um disco composto por um conjunto de músicas de extrema melancolia e dor com melodias sofridas, constituíndo ambientes desoladores, negros e, muitas vezes, angustiantes. Doom metal de elevada categoria que fãs de nomes como My Dying Bride, Paradise Lost ou Draconian não deverão perder. [84%]

Highlights
Goodbye Hope, Blackened Waves, Nostrum Mare (Et Deixo Un Pot de Mar Blava), The Path To Puya, La Sibil-La

Tracklist
1.      A Sail To Sanity
2.      Goodbye, Hope
3.      Blackened Waves
4.      Aurora
5.      Forgotten Fields
6.      Nostrum Mare (Et Deixo Un Pont de Mar Blava)
7.      Once Upon A War
8.      The Path To Puya
9.      La Sibil-La

Line-up
Josep Brunet – vocais
Samuel Morales – guitarras
Sandro Vizcaino – guitarras
Guillem Morey – baixo
Enrique Sierra – teclados
Xavi Gil – bateria

Internet
Website    
Bandcamp   
Facebook    
Myspace   
Soundcloud    
Youtube   

Edição



Comentários