Entrevista: Thornbridge


What Will Prevail estabeleceu os Thornbridge dentro do power metal europeu. Desde essa altura a banda retirou algum tempo para a família e empregos e a partir de 2018 começou a trabalhar a sério num sucessor. Este chama-se Theatrical Masterpiece e mostra um coletivo mais maduro e rico. Quem nos recebeu para uma pequena conversa foi o baterista Maximilian Glück.

Olá Maximilian! Obrigado pela disponibilidade! Foram três anos criativos desde What Will Prevail. Todo esse tempo foi gasto na criação deste novo álbum?
Não, tivemos de tratar de algumas coisas privadas como família, casa e trabalho. A parte intensiva da composição do novo álbum foi em 2018.

De que forma Theatrical Masterpiece é a continuação de What Will Prevail?
Em What Will Prevail apresentamos a temática e o nosso estilo basicamente permaneceu o mesmo.

Este é um álbum muito focado numa temática – a tortura e supressão na Idade Média. Podemos considerá-lo um álbum conceitual?
Na verdade, sim. Duas músicas estão um pouco afastadas do tema, mas basicamente tentamos centrarmo-nos num conceito.

Uma das músicas - Revelation - foi usada como banda sonora numa série na Alemanha. Uma honra para vocês...
Claro! Quantas bandas podem dizer que escreveram a faixa-título para uma série?

Assim, de uma forma geral, o que nos podes dizer a respeito deste novo álbum?
As músicas são mais maduras e o som é mais rico. No global, conseguimos evoluir que era o nosso objetivo.

Como decorreu, desta vez, o processo de gravação? Tudo como planeado?
(Risos) Nunca tivemos um plano! Tivemos um horário livre. Apenas a bateria e os coros foram firmemente planeados.

E agora? O que têm previsto para levar esta obra-prima teatral para palco?
Estamos agora numa tour europeia com os Rhapsody Of Fire. Talvez possa haver alguns festivais de verão.

Muito obrigado! Queres adicionar mais alguma coisa?
Obrigado a todas as pessoas que nos apoiam e dão feedback. Obrigado.


Comentários