RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: Miracle Master

Tudo estava bem com os germânicos Pump, de tal forma que até estavam a preparar o seu novo álbum. De repente, o vocalista saiu, e a procura por um novo front man levou os quatro Pump até à Dinamarca e a Oliver Weers. Dessa junção entre alemães e dinamarquês, o resultado musical foi alterado e os Miracle Master nasceram. Afinal, o que era para ser o quarto álbum dos Pump transformou-se de tal forma que acabou por ser o primeiro dos Miracle Master. Michael Vetter (baixista) com uma pequena ajuda de Axel “Aki” Weissmann (guitarrista) explicam tudo em volta deste milagre e falam de Tattoed Woman.

Viva Michael e obrigado pelo teu tempo! Para começar, podes desvendar quem é esta nova entidade Miracle Master?
Os Miracle Master foram formados em janeiro de 2013, logo após os Pump, antiga banda, ter perdido o seu vocalista. Portanto, basicamente, somos nós quatro que já tocávamos juntos há algum tempo e Oliver Weers que se juntou a nós.

Precisamente, Miracle Master tem 4 ex-Pump. Foi a partida do vocalista Markus Jurgens que causou o fim dos Pump?
Não é assim tão linear, é claro que a partida de Marcus foi o evento inicial que causou todas as mudanças, mas não decidimos sair dos Pump naquele momento. Originalmente ainda começamos a gravar o quarto álbum dos Pump, mas finalmente, surgiu uma nova banda, um novo som e, basicamente, uma nova vida musical para todos nós. Estava planeado que Tattooed Woman seria, como mencionei, o quarto álbum dos Pump. Mas depois do disco estar completamente terminado Marcus decidiu deixar a banda. Tínhamos as faixas instrumentais já gravadas e assim Oliver foi forçado a escrever letras e melodias na música já existente, o que ele nunca fez antes. Durante todo o processo ele acabou por reformular totalmente todas as canções. Oliver gravou todos os vocais em Copenhaga e nós faríamos o download dos arquivos para a mistura. Por isso, quando as canções foram concluídas por ele, foi uma surpresa total como a abertura de uma prenda de aniversário. A influência da Oliver no disco é enorme e estamos todos muito satisfeitos com o resultado. Depois de iniciar as gravações, percebemos que o estilo da música mudou dramaticamente e sentimos que era hora de seguir em frente e ter um novo começo. Ouvindo as primeiras gravações com a voz de Oliver foi um momento incrível para todos nós, e sabíamos que isso ia ser algo completamente diferente do passado. A música soava diferente, o espírito da banda é incrivelmente diferente. Então decidimos fazer este corte. Foi Miracle Master desde o primeiro momento, quando Oliver se juntou à banda.

Agora percebe-se porque simplesmente não continuaram apenas mudando de vocalista…
Sim, porque simplesmente não fazia sentido algum para nós. A música é muito diferente, o espírito da banda é incrivelmente diferente. Precisávamos de um corte com o passado para fazer desta uma nova banda com um novo disco. Já era Miracle Master desde o primeiro momento, quando Oliver se juntou à banda - mesmo antes de nós percebemos isso! Por isso, para mim, não é como prosseguir apenas com um novo vocalista, é uma nova banda completa. Mesmo a relação entre os membros que ficaram foi alterada e é muito melhor agora do que costumava ser.

E como descobriram o Oliver?
Um colaborador (callesrockcorner.dk) na Dinamarca é um grande fã dos Pump e também conhecia Oliver Weers. Ele escreveu a Oliver quando ouviu que os Pump estavam à procura de um novo vocalista. Como disse, tínhamos recentemente finalizado o nosso álbum quando o vocalista Marcus decidiu deixar a banda de repente. Nessa altura, Oliver estava cansado de ser um artista a solo com toda a pressão e responsabilidade sobre ele sozinho e estava à procura de uma banda. Nós telefonamos e contactamos via Skype e quando nos encontramos pela primeira vez nasceram os Miracle Master.

A respeito de Tattooed Woman, como descreverias este trabalho?
Acho que o principal ponto é o termos conseguido fazer um disco que é 100% honesto! As grandes habilidades de composição de Aki juntas com a voz única de Oliver são marcantes e fazem com que seja um álbum que ninguém deve perder no campo do metal melódico e rock.

Quais são os aspetos líricos em que mais se concentram neste álbum?
Esta é uma pergunta muito difícil de pedir a um baterista. Estou pouco envolvido na escrita de letras e riffs. A nossa antiga banda Pump foi uma banda de rock focada em diversão, raparigas, bebida e rock n roll. Fomos muitas vezes comparados a bandas de glam, mesmo que nós não nos revíssemos nesse conceito. Com Miracle Master temos letras e composições um pouco mais sérias. As letras de Oliver Weers estão cientes do que acontece no mundo e na sociedade e vão muito mais fundo. Why Religion, por exemplo questiona o ouvinte porque acreditar nas igrejas que tanta dor trouxeram à humanidade. Miracle Masters é sobre o que aconteceu em Wallstreet em 2008, quando apenas um par de empresários impiedosos desencadeou uma crise económica global. Mas de qualquer maneira... Apesar das letras sérias acho que conseguimos envolver essas mensagens em canções muito atraentes. Tattooed Woman, o tema título é a única música um pouco mais festiva. Infelizmente não consegui hoje entrar em contacto com Oliver, mas perguntei ao Aki para descrever as canções do álbum nas suas próprias palavras:
1. Come Alive: riffs pesados e ​​modernos, com uma poderosa voz de Oliver e um grande refrão melódico. Mais influenciada pelo metal atual.
2. Fly Away: mais old-school, dominada pela letra e pela parte de baixo e um refrão bem aberto.
3. Stay With Me: mais melódica, um pouco baseada no AOR. Refrão forte, mais influenciado pela cena de LA.
4. Forgive Yourself: intro com riffs típicos dos anos 80, grande gancho na linha vocal e um refrão wow.
5. Miracle Masters: a música mais rápida do álbum, também na escrita uma vez que foi escrita numa tarde em estúdio, apenas a tocar guitarra e a não pensar em nada.
6. Will To Survive: muito melódica, grande solo de introdução, grande refrão. Influenciado por algumas bandas como Danger Danger e Dokken.
7. Why Religion: uma música que é como uma homenagem a Alice in Chains, com um riff tipo grunge e canto espiritual, grande refrão aberto.
8. Tattooed Woman: um riff simples, com muita movimentação, também criada rápido em estúdio, quando toda a banda estava a improvisar. Oliver fez um ótimo trabalho com os vocais, tem um refrão cativante.
9. Highway To Heaven: Inicia-se com uma guitarra bluesy que se transforma num top ten hit a midtempo cheio de groove. O refrão vai direto para o cérebro.
10. Tear Down The Walls: a música mais lenta do álbum, influenciada um pouco mais por algumas bandas alternativas como Shinedown. Grande abertura no refrão.
11. We All Touch Evil: outro tema 80ies. Grande guitarra limpa e melódica e um forte coro na bridge e refrão.

Quais são as vossas principais influências?
Somos influenciados, principal e naturalmente, pela música com que crescemos. Bandas como Whitesnake, Dio, Skid Row, Kiss, Ozzy, Mötley Crüe e muitos outros. Mas também por artistas mais jovens. Todos os membros da banda ouvem diferentes tipos de música. Por exemplo Micha gosta de Lamb Of God e eu gosto de Johnny Cash. Acho que conseguimos muito bem encontrar o nosso próprio estilo e soar como Miracle Master. É uma das coisas mais importantes para mim, não soar como qualquer outra pessoa, mas simplesmente como Miracle Master!

As gravações foram feitas no Studio 22 na Alemanha e nos Medley Studios na Dinamarca. Como foi a experiência?
Graças à Internet, a distância já não é problema. Nós gravamos a música na Alemanha e enviamos os ficheiros para o Oliver que acrescentou os seus vocais em Copenhaga/Dinamarca. Ele enviou as faixas vocais de volta e as canções foram misturadas e masterizadas na Alemanha no Studio 22 por Axel Heckert que já trabalhou com bandas como Brainstorm e Symphorce. Usamos o skype para conversar quando decisões importantes tinham de ser tomadas. A banda está a ensaiar em Estugarda e Oliver com as faixas instrumentais na Dinamarca. A banda gravou todas as suas faixas em Estugarda, Alemanha, com Axel Heckert no Studio 22 onde as gravações instrumentais, mistura e masterização ocorreu. Axel ganhou uma boa reputação como engenheiro e produtor ao vivo e em estúdio. Recentemente, ele gravou com Brainstorm e Symphorce. Oliver gravou os vocais no Medley Studios em Copenhagen com Soren Andersen conhecido por seu trabalho com Mike Tramp dos White Lion. Soren também pode ser ouvido no álbum. Ele acrescentou algumas linhas no solo de guitarra introdutório em Will To Survive e fez alguns coros em Will To Survive e Come Alive.

Tattoed Woman foi o primeiro vídeo deste álbum. Como foi essa experiência? Há planos para mais algum?
Tivemos muita diversão, como podes ver se realmente viste bem… Filmamos o máximo que pudemos naquele dia e por isso Highway To Heaven é o segundo vídeo que já foi lançado. Talvez venha aí outro…

E projetos para os próximos tempos? Alguma coisa planeada? Uma tournée está nos vossos planos?
Estamos prestes a começar uma pequena tournée por Espanha neste verão e pela Europa no final deste ano. Mas é o nosso primeiro álbum e está prestes a ser lançado nos dias de hoje, em 7 de março e 23 de abril no Japão, pelo que as solicitações estão agora a começar. Mas, apesar disso, já começamos a escrever canções para o próximo álbum.

Bem, foi um prazer conversar contigo. Queres acrescentar mais alguma coisa para os nossos leitores ou para os vossos fãs?
Gostaria de te agradecer por esta entrevista e sugerir que todos dêem uma olhada em Miracle Master, principalmente se gostam de hard rock e heavy metal, com grandes melodias. Eu prometo-vos que depois de ouvir o álbum duas vezes será difícil tirar as melodias para fora da vossa mente novamente. Espero ver muitos de vocês em qualquer concerto de Miracle Master. Apareçam para tomar uma cerveja com a banda depois do espectáculo!

Comentários