sexta-feira, 27 de junho de 2014

Entrevista: Gloryful


Se The Warrior’s Code havia surpreendido, os metaleiros germânicos Gloryful não fazem a coisa por menos e um ano volvido estão de regresso com um álbum ainda mais poderoso e consistente. Em suma, melhor! A propósito de Ocean Blade voltamos a falar com Johnny La Bomba, vocalista dos teutónicos.

Olá Johnny! Obrigado, mais uma vez, pela tua disponibilidade! Novo álbum cá fora e, naturalmente, estão satisfeitos com Ocean Blade
Olá malta, sim estamos de facto satisfeitos. Eu estava um pouco nervoso antes do lançamento, mas parece que também o público e a crítica estão felizes com o álbum.

Há ano atrás, falávamos de The Warrior’s Code. Agora, estamos aqui com Ocean Blade. Como definirias a evolução desde a vossa estreia para este novo trabalho?
O processo de composição foi quase o mesmo, exceto o facto de a masterização ter sido feita por Charles Greywolf dos Powerwolf. Temos desenvolvido e implementado algumas coisas, por exemplo, o foco em novas ideias a respeito da composição. Começamos a escrever Ocean Blade logo após as gravações de The Warrior’s Code por isso não admira que este álbum tenha surgido tão cedo. Para nós, foi muito natural.

De qualquer forma, Ocean Blade é a continuação natural de The Warrior’s Code
Sim, é. O álbum soa mais a Gloryful e as marcas mais importantes em The Warrior’s Code são agora mais evidentes. No The Warrior’s Code tivemos algumas músicas que eram mais sobre as origens de Sedna enquanto que em Ocean Blade essas origens são combinadas com uma história totalmente nova, novos personagens e novo ambiente.

Tematicamente, também existe essa continuação com a história a adensar-se…
Mais ou menos. O oponente de Sedna é Carl McGuerkin, o capitão de Ocean Blade. Ele deve defender Sedna mas começa a sua jornada a tentar encontrá-la para a matar e libertar o mundo. Para ser honesto, a história não é nada de inovador, mas ajudou muito em quase todos os aspetos para completar o álbum. Especialmente o artwork. Foi muito divertido trabalhar nele envolvendo alguns amigos e fãs para concluir o artwork de Ocean Blade.

E, como em equipa vencedora não se mexe, mantiveram o Dan Swano na produção e Kris Verwimp como o criador artístico!
Ambos fizeram um excelente trabalho e passamos muitas noites a pensar sobre a equipa com quem deveríamos trabalhar para evoluirmos. No final, decidimos manter as coisas como estavam, exceto Charles e a masterização.

Entretanto tiveram uma mudança no posto de baixista. Como foi a integração do Daniel?
O Oliver também esteve envolvido no casting para o novo baixista, porque sabíamos que não seria fácil encontrar um substituto. Oli ainda é um amigo da banda e tocou todas as linhas de baixo em Ocean Blade. Dani é um baixista que quase explode no palco. Não há dúvida de que ele é o elemento certo para os Gloryful.

Após o lançamento do álbum uma outra mudança na banda: Vittorio Papotto saiu! De alguma forma isso afetou a química da banda ou não?
Vito é um músico profissional e ganha dinheiro a tocar guitarra. Infelizmente o seu calendário colidiu com o nosso e todos tivemos que encontrar uma maneira de resolver o problema. Claro, as discussões a este respeito não foram agradáveis, mas a decisão da separação era a única alternativa para manter as coisas a funcionar. Espero que Vito vá bem e que faça o seu caminho no mundo da música.

 Já têm um substituto?
Adrian Weiss é o nosso novo guitarrista. Ele já fez alguns espetáculos e foi explosivo! O seu estilo de tocar guitarra é a combinação perfeita para Jens. Estou muito curioso quando pensarmos em escrever novas canções, juntamente com Adrian.

Quando se prevê isso? Já começaram a trabalhar juntos?
Espero que em breve! Adrian está numa onda de bandas clássicas de heavy metal tal como nós e é também muito hábil a tocar coisas progressivas. Não é que isso seja o meu campeonato, mas poderá ser útil para melhorar a nossa composição.

Depois de The Warrior’s Code tiveram bastantes oportunidades de tocar ao vivo. E agora já têm alguma coisa planeada?
Sim e a agenda aumenta quase todas as semanas. Basta dar uma olhadela em www.gloryful.net ou consultar o nosso facebook. Este fim de semana iremos tocar no Metalfest em Loreley. Este será um dos nossos maiores shows até agora e estamos realmente animados sobre isso. Em princípio iremos em tournée em outubro, mas isso ainda não está decidido.

Bem, foi um prazer voltar a conversar contigo! Dou-te a oportunidade para acrescentar mais alguma coisa…
Obrigado por nos dares mais uma oportunidade de podermos falar! Um grito bem alto para todos os Glorymaniacs que nos apoiam! You rock

Sem comentários: