terça-feira, 17 de junho de 2014

Review: 7 (Seven)

7 (Seven)
(2014, Escape Music)
(5.2/6)

Os Seven já não são propriamente uns novatos nestas andanças. Em 1990 lançaram dois singles (Inside Love e Man With A Vision) que não lhes granjearam nenhum reconhecimento. Estávamos na fase de mudança da Africa do Sul para o Reino Unido, e numa época em que o AOR estava em grande destaque. Toda a gente queria ter uma banda do género e a Polydor não foi exceção: contratou os Seven. Não foi brilhante a aposta. Muitos anos se passaram – mais precisamente 24. E a mais importante editora do género da atualidade, a Escape Music, apostou de novo nos Seven e eis que surge finalmente o trabalho de estreia: 7. Nada de transcendente: rock melódico/AOR com os teclados muito presentes, agradáveis melodias, algumas guitarras aqui e ali mais atiçadas, mas sempre tudo numa toada soft. Como convém no género. Nomes como os Foreigner e Survivor surgem frequentemente. E isso só pode ser bom sinal. Na realidade é. 7 é um disco competente. Pode não ser o melhor disco de AOR da história do rock nem, sequer do ano, mas não deixa de ser competente e de ter um conjunto de temas extremamente agradável. Podemos referir principalmente a brilhante abertura (Shoot To Kill), Headlines (grandes linhas melódicas) e Thru The Night (interessante cavalgada nas guitarras). Inicialmente o disco é mais soft, com a tradicional balada (à lá Richard Marx – com piano) a surgir logo ao terceiro tema e com muita sonoridade radiofónica. Para o fim torna-se um pouco mais rockeiro com as guitarras, sempre com distorção soft é certo, mas mais presentes. A questão que se coloca é se valeu a pena esperar tanto tempo por este disco. Sinceramente achamos que sim.

Tracklist:
1.                  Shoot To Kill
2.                  Inside Love
3.                  Diana
4.                  Still
5.                  Headlines
6.                  Strangers
7.                  America
8.                  Thru The Night
9.                  Never Too Late
10.              Don't Break My Heart
11.              Say Goodbye

Line-up:
Mick Devine – vocais
Keith Mcfarlane – guitarras, vocais
Pat Davey – baixo, vocais
Simon Lefevre – teclados, vocais
Austin “Oz” Lane - bateria

Convidados:
Lars Chriss - guitarras
Mark Mangold, Adam Wakeman, Fredrik Bergh, Didge Digital - teclados
Tomas Coox – piano e arranjos de cordas
Shuji Matsumoto – fretless bass
Andy Loos - baixo

Edição: Escape Music

Sem comentários: